domingo, 23 de junho de 2013

LIÇÃO DE EQUILIBRISTA

LIÇÃO DE EQUILIBRISTA (Por Jefferson Acácio)

Algumas de nossas lições se assemelham com as praticadas pelos artistas circenses, entre elas, em especial – O equilibrista. Caminhar com equilíbrio na corda bamba, para quem assiste, é venerável. Mesmo como espectadores, nos passa um frio na barriga, uma aflição tolerável em nosso estômago. A sensação que temos é de deslumbre com movimentos suaves, simplórios, seguros, dinâmicos, e acima de tudo com graça e leveza.
Mas, então, eu me pergunto como terá sido todo o processo perpassado pelo artista para chegar àquela apresentação¿ A palavra mágica do circo é a mesma que precisamos vivenciar em nossas vidas: EQUILÍBRIO.
Mas você acha que equilíbrio é o simples fato de tentar manter-se em pé numa corda? Não Não. Somente o corpo não alcança o equilíbrio. Sua mente precisa produzir a química que sincroniza o corpo. E para isso acontecer, o artista da vida ter:
VONTADE para gerar a expectativa de chegar ao outro lado da corda bamba;
DETERMINAÇÃO para transformar desejo em planos e meta;
ATITUDE para executar;
DISCIPLINA para não perder o foco, para ignorar os fatores externos que o incomoda com mais tolerância, para não desvirtuar-se do plano, para estabelecer novos comportamentos e atitudes que serão necessários, corrigir padrões que o prejudicava, romper com os vícios e costumes não benéficos para o andamento dos aprendizados, para ter paciência com os resultados graduais;
CORAGEM para vencer os medos internos, subir na corda e encarar os primeiros testes; e
CONFIANÇA para não perder a coragem, para não temer dos riscos para cada queda, uma proteção o sustentará, e a cada vez que levantar e voltar novamente ao picadeiro a confiança está mais firme que uma rocha.
Para cada um desses princípios haja TREINO e EXERCÍCIO. E a cada exercício você SUPERA os padrões anteriores, fortalece-se e adquire uma CONSCIENCIA dos teus limites e desenvolve os primeiros estágios do EQUILIBRIO.
Vê, é uma mera questão de técnica, qualquer um consegue, e assim que domina a dinâmica do equilíbrio, você atravessa a corda bamba e alcança o outro lado do pretendido. E de modo algum perde a DISCIPLINA e os princípios que aprendeu. A CONTINUIDADE o evolui em SABEDORIA.

O poeta

(Por Jefferson Acácio)

O poeta te observa de um modo que te incomoda
Pesquisa sobre você na filosofia, psicologia...
Coleta cada movimento seu para eternizar tua personalidade
na transparência das escrituras...

Tudo no poeta tem o custo do que sente – o prazer regado ao castigo!Para que ele tenha a percepção das duas coisas!Como são doces e como amargam... Como curam e como ferem

O poeta vive no limite dos contrastes!!

No mundo real poesia é o cocho que fingimos não ver
Mas ele esta ali, mancando de uma perna com roupas de trapiche
E nós o observamos com a visão bilateral – de quem vê o certo e o errado.

As poesias são o exorcismo dos pensamentos contidos em sua alma! O coração do poeta é um portal para materializá-la

ACORDAR NO PARAÍSO

ACORDAR NO PARAÍSO (Por Jefferson Acácio)


Meu desejo é que o paraíso chegasse agora para todos sem exceções!!! Que ao acordar, tivéssemos essa surpresa inesperada! Seria um espanto de alegria.. Imagine só, sem medo....desamor, ódio, rancor, guerra, desemprego, miséria, tristeza, morte, dor, doenças, cicatrizes, violência, discriminação, fome!!!
Mas ao acordar, é um novo dia, não o paraíso, mas é um novo dia mais próximo do paraíso. Todo dia peço que ele chegue logo! Às vezes peço a Deus mais essa prova de amor, além da que já fez ao enviar para a terra a sua maior criação (Jesus) para morrer por nós, de uma maneira que nenhum de nós teria forças para suportar! Ele morreu por mim e por você! E nem somos dignos. Pior, nem fomos dignos mesmo depois dessa prova de amor. É como uma pessoa apaixonada se joga de um penhasco, com equipamentos de proteção (é claro) com um buquê de rosas, ou se sai vivo após se jogar em frente a uma bala para proteger quem ama, em seguida, casa-se... e depois é traído. Como ser merecedor?? Pior, que fomos assim, após uma prova de amor como a do Senhor, e nós ainda traímos o seu amor de mil maneiras desapontadoras. Por isso, ao pensar fazer tal pedido ao Senhor, minha garganta seca, as palavras travam na boca, pois eu sou um desmerecedor, pequeno, pecador! Como ser merecedor?
Então todos os dias, além orar, eu SONHO!! Sonho em acordar no paraíso, e reencontrar amigos, familiares e pessoas que se foram. Poder encontrar meu irmãozinho que não conheci quando o perdi quando eu ainda era criança. E poder tocar seu rosto, seu cabelo ... e dizer: - Meu irmão!!! Abraça-lo! Abraça-lo com minha mãe, meu pai, minhas irmãs!
Ó Deus, como queria que fosse assim!!! Muito! Muito! TODAS AS PESSOAS QUE ESTÃO SOFRENDO DORES fossem curadas, renovadas em alegria!
Tento me confortar de que o paraíso vai chegar, Ele vai voltar! Mas acontece que... O paraíso não chegou. A dor é hoje, é agora, está na carne! O que fazer diante disso? Fingir que nada acontece? Fingir que está tudo bem, quando nitidamente vejo que não está?
Mas sabe o que penso ao invés de me entregar à dor? Me divirto com ela! Se ela me vencer, eu a venci primeiro! Vou sorrir e vou chorar, mas vou viver cada momento alterando as frequências ruins quaisquer que sejam, por amor e paz!! Tentando ser ainda mais feliz através da dor, tentando transmitir à quem precisa mais que a mim! É meu exercício até que.. quem sabe amanhã eu acorde no paraíso?!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Poesia à Primeira Vista


Poesia à Primeira Vista (Por Jefferson Acácio)

Quando a poesia e o poeta se encontram
Acontece algo de cósmico inexplicável 
Talvez por predestinação que surge do acaso
Como um esbarrão e aquele estalo inesquecível
Como num primeiro olhar que revela um sentimento puro
Então, assim mesmo surge a primeira poesia
Cheio de clima, prosas, atenção aos detalhes, ao tato
Ao gesto indecifrável e as mãos ousadas repousam
No corpo de um papel nu e se entrega ao prazer da escrita!
O lápis coopera e esculpi a figura de um pensamento
Refletindo alguma mensagem de dentro para o universo
É um encontro prazeroso e que de desenrola como uma transa.
A respiração perde total sintonia do tempo-espaço 
O tempo congela e os olhos vigiam os pensamentos escondidos
A boca confessa, os dedos denunciam e a ocorrência é um verso acusador
A poesia e o poeta tem química invejável, causa até arrepio
São coautores, cumplices e amantes fieis!
Completam-se e fazem mais sentido quando juntos...
Como a bailarina e sua sapatilha de pano
Como o palhaço e seu nariz vermelho engraçado!
Escrever poesias é mais que uma arte experimentada
É um ato fecundo onde pensamentos se transformam em vida!

siga por email