sexta-feira, 26 de julho de 2013

Terras férteis



(Por Jefferson Acácio)

Estou sobre efeito colateral de desgosto
Injetando poesia na veia para me desconectar da matéria repugnada
Comprei passagens neurotransmissoras para o mundo da imaginação
Vou fazer de conta que volto um dia para esta nação
E quem sabe nestas terras férteis tudo se reinvente
De repente um amor do jeito que a gente não escolhe
E um céu aberto totalmente branco que a gente colore
Quando eu fecho os meus olhos eu encontro uma alma inquieta
Se debatendo desesperada, presa num frasco de coleta
Deseja voar banhada de cores aquarela transformando o céu numa tela
Voa desaninhada da raça humana desalinhada
Voa pelas estranhezas desse mundo desconstruído
E repousa no berço dos poetas esquecidos!

domingo, 23 de junho de 2013

LIÇÃO DE EQUILIBRISTA

LIÇÃO DE EQUILIBRISTA (Por Jefferson Acácio)

Algumas de nossas lições se assemelham com as praticadas pelos artistas circenses, entre elas, em especial – O equilibrista. Caminhar com equilíbrio na corda bamba, para quem assiste, é venerável. Mesmo como espectadores, nos passa um frio na barriga, uma aflição tolerável em nosso estômago. A sensação que temos é de deslumbre com movimentos suaves, simplórios, seguros, dinâmicos, e acima de tudo com graça e leveza.
Mas, então, eu me pergunto como terá sido todo o processo perpassado pelo artista para chegar àquela apresentação¿ A palavra mágica do circo é a mesma que precisamos vivenciar em nossas vidas: EQUILÍBRIO.
Mas você acha que equilíbrio é o simples fato de tentar manter-se em pé numa corda? Não Não. Somente o corpo não alcança o equilíbrio. Sua mente precisa produzir a química que sincroniza o corpo. E para isso acontecer, o artista da vida ter:
VONTADE para gerar a expectativa de chegar ao outro lado da corda bamba;
DETERMINAÇÃO para transformar desejo em planos e meta;
ATITUDE para executar;
DISCIPLINA para não perder o foco, para ignorar os fatores externos que o incomoda com mais tolerância, para não desvirtuar-se do plano, para estabelecer novos comportamentos e atitudes que serão necessários, corrigir padrões que o prejudicava, romper com os vícios e costumes não benéficos para o andamento dos aprendizados, para ter paciência com os resultados graduais;
CORAGEM para vencer os medos internos, subir na corda e encarar os primeiros testes; e
CONFIANÇA para não perder a coragem, para não temer dos riscos para cada queda, uma proteção o sustentará, e a cada vez que levantar e voltar novamente ao picadeiro a confiança está mais firme que uma rocha.
Para cada um desses princípios haja TREINO e EXERCÍCIO. E a cada exercício você SUPERA os padrões anteriores, fortalece-se e adquire uma CONSCIENCIA dos teus limites e desenvolve os primeiros estágios do EQUILIBRIO.
Vê, é uma mera questão de técnica, qualquer um consegue, e assim que domina a dinâmica do equilíbrio, você atravessa a corda bamba e alcança o outro lado do pretendido. E de modo algum perde a DISCIPLINA e os princípios que aprendeu. A CONTINUIDADE o evolui em SABEDORIA.

O poeta

(Por Jefferson Acácio)

O poeta te observa de um modo que te incomoda
Pesquisa sobre você na filosofia, psicologia...
Coleta cada movimento seu para eternizar tua personalidade
na transparência das escrituras...

Tudo no poeta tem o custo do que sente – o prazer regado ao castigo!Para que ele tenha a percepção das duas coisas!Como são doces e como amargam... Como curam e como ferem

O poeta vive no limite dos contrastes!!

No mundo real poesia é o cocho que fingimos não ver
Mas ele esta ali, mancando de uma perna com roupas de trapiche
E nós o observamos com a visão bilateral – de quem vê o certo e o errado.

As poesias são o exorcismo dos pensamentos contidos em sua alma! O coração do poeta é um portal para materializá-la

ACORDAR NO PARAÍSO

ACORDAR NO PARAÍSO (Por Jefferson Acácio)


Meu desejo é que o paraíso chegasse agora para todos sem exceções!!! Que ao acordar, tivéssemos essa surpresa inesperada! Seria um espanto de alegria.. Imagine só, sem medo....desamor, ódio, rancor, guerra, desemprego, miséria, tristeza, morte, dor, doenças, cicatrizes, violência, discriminação, fome!!!
Mas ao acordar, é um novo dia, não o paraíso, mas é um novo dia mais próximo do paraíso. Todo dia peço que ele chegue logo! Às vezes peço a Deus mais essa prova de amor, além da que já fez ao enviar para a terra a sua maior criação (Jesus) para morrer por nós, de uma maneira que nenhum de nós teria forças para suportar! Ele morreu por mim e por você! E nem somos dignos. Pior, nem fomos dignos mesmo depois dessa prova de amor. É como uma pessoa apaixonada se joga de um penhasco, com equipamentos de proteção (é claro) com um buquê de rosas, ou se sai vivo após se jogar em frente a uma bala para proteger quem ama, em seguida, casa-se... e depois é traído. Como ser merecedor?? Pior, que fomos assim, após uma prova de amor como a do Senhor, e nós ainda traímos o seu amor de mil maneiras desapontadoras. Por isso, ao pensar fazer tal pedido ao Senhor, minha garganta seca, as palavras travam na boca, pois eu sou um desmerecedor, pequeno, pecador! Como ser merecedor?
Então todos os dias, além orar, eu SONHO!! Sonho em acordar no paraíso, e reencontrar amigos, familiares e pessoas que se foram. Poder encontrar meu irmãozinho que não conheci quando o perdi quando eu ainda era criança. E poder tocar seu rosto, seu cabelo ... e dizer: - Meu irmão!!! Abraça-lo! Abraça-lo com minha mãe, meu pai, minhas irmãs!
Ó Deus, como queria que fosse assim!!! Muito! Muito! TODAS AS PESSOAS QUE ESTÃO SOFRENDO DORES fossem curadas, renovadas em alegria!
Tento me confortar de que o paraíso vai chegar, Ele vai voltar! Mas acontece que... O paraíso não chegou. A dor é hoje, é agora, está na carne! O que fazer diante disso? Fingir que nada acontece? Fingir que está tudo bem, quando nitidamente vejo que não está?
Mas sabe o que penso ao invés de me entregar à dor? Me divirto com ela! Se ela me vencer, eu a venci primeiro! Vou sorrir e vou chorar, mas vou viver cada momento alterando as frequências ruins quaisquer que sejam, por amor e paz!! Tentando ser ainda mais feliz através da dor, tentando transmitir à quem precisa mais que a mim! É meu exercício até que.. quem sabe amanhã eu acorde no paraíso?!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Poesia à Primeira Vista


Poesia à Primeira Vista (Por Jefferson Acácio)

Quando a poesia e o poeta se encontram
Acontece algo de cósmico inexplicável 
Talvez por predestinação que surge do acaso
Como um esbarrão e aquele estalo inesquecível
Como num primeiro olhar que revela um sentimento puro
Então, assim mesmo surge a primeira poesia
Cheio de clima, prosas, atenção aos detalhes, ao tato
Ao gesto indecifrável e as mãos ousadas repousam
No corpo de um papel nu e se entrega ao prazer da escrita!
O lápis coopera e esculpi a figura de um pensamento
Refletindo alguma mensagem de dentro para o universo
É um encontro prazeroso e que de desenrola como uma transa.
A respiração perde total sintonia do tempo-espaço 
O tempo congela e os olhos vigiam os pensamentos escondidos
A boca confessa, os dedos denunciam e a ocorrência é um verso acusador
A poesia e o poeta tem química invejável, causa até arrepio
São coautores, cumplices e amantes fieis!
Completam-se e fazem mais sentido quando juntos...
Como a bailarina e sua sapatilha de pano
Como o palhaço e seu nariz vermelho engraçado!
Escrever poesias é mais que uma arte experimentada
É um ato fecundo onde pensamentos se transformam em vida!

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Plantação de Gente



Plantação de Gente (Por Jefferson Acácio)


Como não apreciar o painel de emoções da vida sem as lembranças
Como não caminhar pelas calçadas de Copacabana sem um samba
Por onde ando levo os meus painéis transportáveis de memórias
Em cada viveiro que passei trouxe uma cor diferente com cheiro de gente
Por onde passo, eu vejo tintas e tons largamente figurados em murais
O povo em geral é um verdadeiro triunfo das artes visuais
São como pinturas vibrantes combinando harmonicamente a decoração da diversidade
E em cada canto das cidades por onde andei, estarreceu-me do esplendor do mundo
Dos cantos e esconderijos choravam passarinhos...
Me passaram um sentido divino no chorinho cantado atrás das mesquitas
Estavam abandonados, coitados, caíram do ninho encantado de aconchego
Ah, a vida tem belas surpresas de realizações, trabalhos feitos, desejos sem preço...
E alguns pesadelos caros que nos despertam nas madrugadas sedentas
Ah, nossas lembranças são pequenas peças de um desenho mágico
É toda uma técnica numa só tela, às vezes parece abstrata, realista...
Mas reflete uma estética contrastante de percepção, emoções e ideias...
Que nos confunde, nos faz rodopiar, rodopiar... E naufragar num oceano de ilusões
Mas encontramos em algum lugar do pacífico, uma ilha da consciência cheia de arquiteturas
Modelamos um saber, um jeito mais pedagógico de enxergar...
É uma arte magnifica, iluminada, cheia de códigos morais, éticos, religiosos, políticos...
Nossa! Como somos complexos, patéticos, estereotipados... e tão poéticos!
Temos uma tal liberdade de visão individual do mundo e da vida
Que fazemos tantas indiferenças, tantas descrenças e criamos mais novas utopias
Mas no fundo somos uma plantação de gente
Que vira semente num cemitério de lembranças
Assombrados pelo Ceifador de Propósitos!
Acalentados pelo Jardineiro de Almas!
Passamos por tantas realidades em busca de exatidão nas formas de razão inventada
Vivemos de tudo um pouco e por incrível ironia, sentimos as mesmas coisas
Quanto mais alegrias, mas dores...
Quanto mais sonhos, mais pesadelos...
Quanto mais expansão, mais limites...
Quanto mais realidades, mais fantasias...
Quanto mais realizações, mais decepções...
Quanto mais certezas, mais dúvidas
Quanto mais amores, mais solidão...
Tudo compõe esse mosaico de sentidos e intensidades
A vida é a própria arte pela arte!
É tudo um mosaico! Nada mais que um mosaico!

quinta-feira, 14 de março de 2013

Ensaio sobre “Como amar um poeta”


Ensaio sobre “Como amar um poeta”
(Por Jefferson Acácio)

I - Fazer poesia e viver poesia

Poeta não é apenas àquele que produz letras num papel
Mas que tem o dom de inflamar quem as leem
Este artista vive a poesia como uma alma vivente
Que o acompanha como uma extensão da sua alma
O coração do poeta é um portal para materializá-la

Tudo acontece entre os neurotransmissores do cérebro
e o bombeador da vida que parece explodir a cada batida
E quando se fala em emoção, é com ele mesmo
O artista explícito, transgressor, impulsivo e insolente
Não é um artista de textos ensaiados...
Mas de sentimentos expressados da forma que mais impacta
Pensamos que poeta são aqueles que escrevem e recitam
Mas há outros espécimes, que se perfumam de poesias

II - Ah, o poeta, poeta...

Coração de vulcão, boca de lâmina, olhar de águia cheia de volúpias
Com poesias fazem feitiços, declarações, injúrias, confissões
Com poesias criticam, condenam, amaldiçoam e preveem futuros
Mas também fantasiam, agraciam e encantam como os sonhos bons
E mesmo assim, o poeta deveria ser proibido de amar

Todo poeta nasce com essa predestinação, uma maldição se séculos
O poeta ama e é amado extasiadamente...
Porém estradas misteriosas habitam a alma apaixonada de um poeta
Porque é fácil amar um poeta – quem não gostaria, ora essa?
Mas retribuir e compreender a vastidão de um amor incompreensível?
Para quem não tem a percepção desse amor, não deve se entregar

O poeta é encantador e transforma cada momento em cinema!
Viver entre a ficção e a realidade nem sempre é agradável
É um mundo em que toleramos por alguns momentos
Quando apreciamos uma boa música, filme...
Mas não para participar dos segundos da sua vida,
Apesar de que a realidade está em terrível depreciação-indivisível de você!
Bom ou ruim – é a realidade!
E passar muito tempo na fantasia não é recomendado pelos psiquiatras
Vai dizer isso para ele... E em três dias estará vestido de branco
Com os braços cruzados tomando mais pílulas da realidade!

De fato, só loucos vivem entre a fantasia e a realidade,
De fato, só os híbridos vivem entre o inferno e o paraíso...
Poucos são os humanos híbridos que transitam entre os dois mundos
Porque faz parte de seu dom decifrar o que não se vê superficialmente.

Mais que duas horas num mundo paralelo é capaz de atordoar alguém
Ninguém quer enxergar o mundo da maneira que ele ê
Aceitar está de bom tamanho e embriagar-se de estilos de vida...
Moda... Pensamentos filosóficos pré-moldados... distrações...
No mundo real poesia é o cocho que fingimos não ver
Mas ele esta ali, mancando de uma perna com roupas de trapiche
E nós o observamos com a visão bilateral – de quem vê o certo e o errado

III – Poetas também se machucam!

Ficção da realidade... Realidade inventada
Amar um poeta é encontrar-se nesses dois mundos
Ele vê o mesmo que você, porém ele aponta
E o próximo apontado, poderá ser você também!
E quando isso acontecer, não é ele quem diz!
Não é nesse mundo que se rabiscam os seus pensamentos!

Amar um poeta requer a habilidade de perceber onde ele está!
E não se assuste se ele esteve com Nerfetite, ou em Esparta
E pode acreditar ele esteve lá com certeza,
E digo-lhes mais e reconhece o perfume e sabor da vinha e da oliveira

A quem acredita que os poetas são místicos
E que o tamanho da sua sabedoria reflete sua força
E pelo contrario, eles se destroem a cada poesia
Assim como o corpo de uma mulher não suporta muitos partos!
Assim como muitas decepções na vida, nos adoece pelos tempos!
O poeta tem tudo disso, e pior, em dobro!
Ora vejam, já não tem o livre arbítrio, pois as poesias os governam.
Boca, pele, olhos, olfato, paladar e o sexto sentido
Quando amam, as poesias intensificam os sentidos
Se odeiam algo, então as poesias não deixam nada escapar de sua lâmina!
Tudo no poeta tem o custo do que sente – o prazer regado ao castigo!
Para que ele tenha a percepção das duas coisas!
Como são doces e como amargam... Como curam e como ferem
É o seu estigma espiritual. E por isso, para o próprio bem do poeta...
Deveria ser proibido de amar!

IV – Quando o poeta ama...
A verdade é... Quem merece a cortesia de um poeta?
Um beijo é a chave para sonhos com dragões e castelos
Um gesto é como mil frases compiladas nos ensaios de shakespeare
Uma decepção é o épico das tragédias gregas
Um dia são eternidades sonhadas
Um desejo é engendrado, degustado e ganham as páginas do eterno
O corpo de um poeta é tão quente quanto os pensamentos
Quem teria coragem de se entregar à alguém
que se joga de um penhasco todos os dias?
Quem se ousaria a amar alguém
que se declara amante da poesia e das palavras
e ainda as chama de prostitutas das noites?

Quem se habilitaria a viver ao lado de alguém
que habita em lugar nenhum, pois sua morada
é entre a fantasia e a realidade?

O poeta te observa de um modo que te incomoda
Pesquisa sobre você na filosofia, psicologia...
Coleta cada movimento seu para eternizar tua personalidade
na transparência das escrituras...

Quem tem a coragem de dormir ao lado de alguém
que diz que as poesias são o exorcismo dos pensamentos contidos em sua alma!
O amor de um poeta é inalienável e indivisível de sua arte!
Amar um poeta é fazer viagens nos seus mundos paralelos.
Sim, ele não vive num só mundo, e sim, no limite dos contrastes

Um poeta precisa de oásis mágicos no deserto d’alma
Destruir o amor é roubar-lhes a conexão entre os mundos!
É confundi-lo de que deve afastar da poesia que o alimenta
É fazê-lo provar do gosto azedo da vida-real.
É desmanchar seus castelos e entregá-los aos dragões!


sexta-feira, 8 de março de 2013

ÀS NOSSAS HEROÍNAS!!!

ÀS NOSSAS HEROÍNAS!!! FELICIDADES DO SOL PARA TODAS AS MULHERES!!


Quando você acordou, tomou consciência de que hoje é o seu dia? É o dia internacional da mulher! E mais que um dia mundial, reconhecemos em suas majestades de que hoje é o dia orbital solar da mulher! Por isso, recebam esse dia com a alegria, a força e a graça com a qual vocês inspiram a Terra a ser o mais belo entre os outros planetas!

Hoje estou confuso, se é o Dia Internacional da Mulher ou o Dia Internacional do Cavalheirismo! Homens levantem-se, mova-se, se inspirem nessas heroínas que geraram você e façam desse dia o mais especial de todos para elas! Para mim, todas são heroínas gregas, as musas inspiradoras dotadas de autodomínio, vitalidade e independência.  A mulher é, incontestavelmente, entre todas as criaturas (humana, animal ou mitológica), o ser de maior lirismo e poder!

Referências para comprovar isso, nem precisa! Olhe ao seu redor, como, apesar de tantas lutas humanas de cada-dia, elas ainda conseguem ser graciosas. Nossa, elas SORRIAM!! Sabe o poder que se manifesta num SORRISO? Sinceramente, não encontro uma marca de expressão de sofrimento, e sabemos o quanto sofreram e o quanto ainda há. E mesmo assim, observe tua mãe, como é preciosa e vital que parece ainda mantê-lo no próprio ventre, vivendo ainda as dores do parto! Não é toa que são inteiramente conectadas à Natureza!

Nomes não faltam, Marias, Madalenas, Helenas de Tróia, Nefertiti, Joana D’Arc, Ana Pimentel, Dandara, Chica da Silva, Maria Quitéria, Ana Néri, Anita Garibaldi, Princesa Isabel, Chiquinha Gonzaga, Tarsila de Amaral, Patrícia “Pagu” Galvão, Irmã Dulce, Eva Péron, Maria da Penha...e milhares de outras, professoras, advogadas, donas do lar, diaristas, motoristas, lutadoras, secretarias, politicas, etc. Todas elas mudam as vidas dos Homens, a cada dia, revitalizando-nos com o seu poder, inteligência e força interna! Enriquecendo a existência com sua graça!

MULHERES - Hoje a Terra faz movimentos de translação em sua volta!  Você é o centro gravitacional  que exerce forte influência em tudo o que te cerca!

Parabéns pelo seu dia no universo!
 
Pois até no Sistema Solar, vocês são ESTRELAS!!
 
 

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Poeta das Cinzas


Poeta das Cinzas (Por Jefferson Acácio)



Há quem diz que o poeta é uma ave lendária
Embora incendiado em autocombustão,
Renasce das próprias cinzas
Com a força da sua poesia é reerguido!



A poesia é o seu bestiário iluminado
Onde todos os seres reais e fabulosos ganham vida
No mundo paralelo da imaginação
Entre a realidade, o supra-real – nenhuma ilusão!

A poesia é sua pira funerária da imortalidade
Como a fênix em seu dramático ninho de fogo
E fantástico renascimento espiritual...
No virtuoso paraíso dos pensamentos - Está acima da extinção e do casual!

O mundo real foi coberto pela doença capitalista
Capitalizou almas, escureceu sonhos, destruiu a verdade
Subordinaram à existência comprada.
Mataram um poeta dando-lhe distração e penalidade!

Agora o poeta conhece os vermes da putrefação
Assim como você reconhece a morte através do outro que se foi.
Ou quando se desvia do animal em decomposição
Sabe o quanto a morte o incomoda, por isso faz oração!

Um médico legista pode explicar
Em sua percepção da necropsia
Ao dedilhar os órgãos apodrecidos de um cadáver
Um homem padeceu... Quanta apavoração! Quanta maldade!

O corpo consume-se pelas bactérias anaeróbicas
Máscaras os protegem do odor pútrido de suas excreções
O corpo examinado, encontrado numa casa abandonada, é identificado
É o poeta das cinzas, e fotógrafos imortalizam a matéria incinerada!

Há quem diz que a abstinência da poesia causa crises convulsivas
Mas no meu caso, me transformei em fogo - hiperatividade de pensamentos!
Por longos anos os monstros do capitalismo roubaram minha inspiração
Algemas invisíveis impediram-me da escrita e cegaram minha convicção!

Escravizado pela realidade pré-fabricada
Castigado e reprimido pelas horas não-vividas
Prostituindo seu talento por poucos trocados num semáforo!
Perdido no corredor do stress – facção terrorista que molesta toda a humanidade!

O poeta deixou de escrever porque se informatizou
O poeta deixou de ser porque seu coração robotizou
O poeta deixou de viver porque o caos o aprisionou
O poeta deixou de amar, porque não se amou!

Então o sangue do poeta ferveu, inflamou correndo pelas veias
A pele quente expeliu chamas ardentes!
A queimadura aumentava sem que pudesse amenizar a dor
O coração feito brasa, ainda bateu agonizado – sangrou!

Somos produtos da dor – de um corpo cortado nascemos
Bisturis, curetas, agulhas, tesouras – somos torturados para nascer
Depois que o procedimento cirúrgico nos liberta, ainda tem a dor do viver!
E depois que morremos, ainda causamos dor aos que vivem!

O poeta nasce, cresce, reproduz poesia e morre
O poeta se cala, mas seus pensamentos deitam-se consigo.
O poeta não escapa da morte, porque é ritual de passagem
A morte é um xamã que alivia cafaléias e traumas!

Há quem diz que o poeta é apenas uma passagem...
Um portal por onde as poesias fazem conversas entre mundos.
Há quem diz que a poesia só existe quando o poeta sangra
A poesia só se eterniza quando o poeta morre!

Depois que se acabou ainda não se acabou...
Metabolização... Identificação... Notícia... Velório...
Quarta-feira de fevereiro, desmancho no deserto pueril das almas...
Espalham ao sopro sutil do vento – as cinzas de um poeta!







segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

POR SANTA MARIA



POR SANTA MARIA - 


O mundo grita socorro...

E nós ainda vivemos...
Famílias inteiras são destruídas feito palha numa floresta incendiada...
E nós ainda vivemos...
Sonhos são apagados com a força de uma fumaça...
E nós ainda vivemos...

Para que tanta pressa por riquezas, se a vida e o amor são os maiores tesouros? Para que tanta pressa, ganhar dinheiro a qualquer custo? Do que adianta ficar rico quando o que você constrói coloca a vida de outras pessoas em risco? Seria muito ter evitado tantas mortes, ou é pouco 245 pessoas pagarem com a própria vida para os homens perceberem o que fazem por dinheiro?


E nós ainda vivemos todo dia uma dor comum, causada por fatores diferentes e o homem ainda não aprende com o que faz...E nós ainda vivemos para ver esse mundo se destruindo numa guerra invisível em que a arma letal é a ignorância e a tática de guerra é a falta de amor aos outros...


Nossa estigma de sobrevivência à toda loucura do mundo, é fingir que está tudo bem. E fingindo nos tornamos tão superficiais que nossa alma se torna opaca, intransponível. Falta segurança no mundo que vivemos...


Para ter diversão precisa de SEGURANÇA. Para fazer sexo precisa de segurança. Para atravessar uma rua precisa verificar se está com segurança. Para construir uma família precisa sentir-se com segurança. Para passar no vestibular precisa de segurança. E para ter SEGURANÇA, só com DEUS. Pois na terra nada esta seguro!


É por isso, que viver é um desafio. Outros se ajoelham, outros levantam as mãos, bebem água da fonte purificadora, umedece a testa com óleo das bençãos, rezam "Santa Maria, rogai por nós". Outros fazem jejum, fazem uma prece, se exilam, se castigam. Outros se calam, alguns de cortam. Outros fazem encontro com a natureza. Uns tocam tambores, tocam trombetas, acendem velas, chamar por espíritos.....Sabe.. A gente tenta de tudo e muitas vezes não conseguimos nada... E só vivemos. Só vivemos.


Mas existe um canal de comunicação com Deus, que é tão simples. Mas parece que sistemas simples são complicados para nós. Gostamos dos mais modernos e complexos. Para acessar o canal "Fale com Deus" é oração. É o que podemos fazer agora, pelas famílias de Santa Maria, e pelas famílias destruídas por todo esse mundo...Chega de espalhar intolerância, moralismos religiosos e xenofobia. Silêncio e oração é só isso que podemos fazer. Oração! Porque a diferença de quem está vivo e quem se foi, é um dia a mais na Terra. 


Oremos, então, ao invés de potencializar nossa raiva, nosso ódio, nossa indignação, ao invés de lavar nossas lágrimas no sangue, e às vezes brigando por causas que nós mesmos não temos conhecimento delas, pois temos olhos cegos...


ao espalhar intolerância e moralismo religiosos e xenofobia.


Oremos: Senhor, piedade. Senhor, alivie a dor. Senhor, segurai nossas mãos, não sabemos andar. Senhor, nos dê força. Acenda nossa fé, protegei nossos irmãos. Senhor, PAZ!


Escritor: Jefferson Acácio http://www.facebook.com/jeffcruzlima

siga por email