sábado, 26 de março de 2011

Alinhados no Espaço

 Por Jefferson Acácio


Dirigir nas vias de conduta e bater o carro na censura.
Voar para sentir-se livre e cair desenfreado sem arbítrio
Todas as estradas interceptaram-se por medo de se extraviarem.
Frente a cada obstáculo, avançando os sinais vermelhos.
Enfrentando tempestades, buracos, nuvens e pedras.
Fizemos o possível para chegar até aqui.
Onde há portos marítimos, aéreo e rodoviário…
Pronto para os constantes embarques e desembarques.
Entre tantos faróis, comandos, e semáforos.
Perdemos-nos de avião, ônibus, e descalços.
Desconhecemos o chão que nos sustenta.
O arrebento vem do desconhecido tempo
E nos obrigamos a brigar a troco de esmolas.
É a sina sem sinos e hinos de aviso
É o passo desatinados sem segurança e sem corda.
Chegamos até aqui não porque vencemos
A prova que nós podemos é que alcançamos!
Mas para vencer é preciso nos alinhar no espaço.
Porque, lá dos satélites nos vigiaram e fotografaram.
E a verdade é que estamos navegando separados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

siga por email