sábado, 26 de março de 2011

Homem de Lata

 Por Jefferson Acácio



Avise a todos que estou chegando

Eu sou o homem de lata
Podem bater, mas farei muito barulho
Acordo toda a vizinhança e faço um reboliço
Aquele velho tempo acabou
Quando me usavam, amaçavam e jogavam fora
Eu me reciclei e agora ousei
Minha ousadia é minha palavra
Eu falo até que se gastam todos os meus verbos
Eu grito eu bato minha lata mesmo
Afim de uma real comigo?! Pode vir!
Bebam a vontade, mas cuidado como tiram a tampinha
Como me colocam na boca,
Como me viram num gole, devagar ou apressado
Olha lá como me degustar, de vez ou de pouco
Se me dividem entre outras bocas, olha lá…
Olha lá bem onde vai me jogar…
Depois não reclamem
Se a minha lata eu fizer tocar!

Um comentário:

siga por email